Secretária de Saúde fala sobre ações contra a Dengue em Bananal.


A Secretária Municipal de Saúde de Bananal, Sarah Bruno, relatou, em entrevista, a existência de 10 casos confirmados de dengue no município. Outros 23 casos suspeitos ainda não foram confirmados por exames laboratoriais.

A Secretária revelou os números em entrevista ao jornalista Ricardo Nogueira durante o jornal da rádio Estância do dia 24 de fevereiro. (ouça a entrevista no player abaixo, no final da matéria)

Ela detalhou os procedimentos adotados em relação ao atendimento dos casos suspeitos e também as ações que estão sendo adotadas por equipes do controle de endemias e de saúde da família nas áreas consideradas de maior risco. Ao mesmo tempo, salientou o quanto é importante a participação popular nas ações de combate ao Aedes Aegypti, eliminando ao máximo os criadouros do mosquito.

Após informar que o número de casos confirmados havia subido de 4 para 10 com a chegada de novos resultados de exames, Sarah Bruno explicou como funciona o trâmite do protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde.

“O paciente chega hoje na Unidade Mista com os sintomas da dengue e o médico já o trata como suspeito. É colhido um exame de sangue e ali não é feita a sorologia para detectar a dengue. Ali é realizado o monitoramento do número de plaquetas, se houve queda no número de plaquetas. Até 150 mil é considerado normal. O resultado sai na hora no laboratório da Unidade, e então o médico já notifica como caso suspeito de dengue. Após 5 dias o paciente retorna, o sangue é colhido novamente e esse exame é encaminhado para o Instituto Adolpho Lutz, em Taubaté. Isso é um protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde. Lá no Instituto é feita a sorologia para a dengue. Nesse intervalo, do 1º dia até o 5º dia, o médico ainda pede que o paciente retorne para um controle de plaquetas a cada 2 dias. No 5º dia é feito então o encaminhamento para Taubaté”.

Sarah Bruno informou também que a equipe de vigilância epidemiológica do município solicitou ao Adolpho Lutz que encaminhe o resultado dos exames por e-mail, visando maior celeridade na constatação dos casos. “Isso é importante porque quando a doença é constatada, a equipe do controle de endemias do município é acionada, vai até onde a pessoa mora e é feito um bloqueio por nebulização, não com o carro (fumacê) mas com equipamento costal para entrar no domicílio e realizar o trabalho num raio de 500 metros do local da notificação. Por isso, é importante as pessoas que tenham feito exames em laboratórios particulares também informarem à Secretaria de Saúde no caso de seus exames darem resultado positivo.”

“As notificações são lançadas num sistema, que é o SisaWeb e informado ao Ministério da Saúde quantos casos no município. A ação é de responsabilidade do município, mas existe um protocolo a ser seguido, estabelecido pelo Ministério da Saúde. Nós temos que trabalhar obedecendo esse protocolo e a Secretaria trabalha em cima de indicadores e as notificações são muito importantes para o trabalho”, disse ela.

Sarah Bruno enfatizou que a grande maioria dos casos confirmados é de um único local, o bairro Boa Esperança, nas localidades da Palha e Timborê. Lá estão intensificadas as ações de combate a criadouros, efetuadas pelas equipes do controle de endemias.

Sobre o tratamento dos pacientes a Secretária informou que hoje o Ministério da Saúde já determina o tratamento de hidratação nos casos suspeitos. Antes, o tratamento só iniciava mediante a confirmação da doença.

Sarah Bruno refutou comentários de que a Prefeitura está escondendo o número de casos na cidade. “Se antes isso era feito, eu não sei. O que importa é que hoje isso não existe. Não há o menor interesse em se esconder casos. Não tem como esconder a dengue. O Poder Público está fazendo a parte dele no atendimento médico, nos exames, nas notificações. É constatando o problema que vamos buscar resolvê-lo e isso passa pela ciência da população sobre os casos. E é a população o principal agente de combate à dengue. Eu até apelo para as pessoas nos procurarem para denunciar locais que estejam oferecendo riscos.”

Segundo o Ministério da Saúde, com a volta das chuvas, o número de casos de dengue aumentou 57% em todo o país. Levantamentos de âmbito nacional mostram que 80% dos criadouros estão no interior das casas.




Share on Google Plus

About Ricardo Luís Reis Nogueira

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário