Acervo tem cartas de JK para Plínio Graça.

   

  Mesmo após 2 anos e 3 meses de seu passamento, Plínio Graça continua sendo uma fonte de preciosidades históricas.

  No acervo deixado pelo homem que simboliza conhecimento da riqueza do conteúdo histórico de Bananal, constam também raridades de interesse nacional: duas cartas de um remetente ilustre.

  Em 1961, Plínio Graça, então Prefeito de Bananal, recebeu uma carta assinada e inteiramente escrita à mão pelo ex Presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek de Oliveira.

  Considerado por muitos o melhor Presidente da História do Brasil, o homem que empolgou o país prometendo desenvolvimento de 50 anos em 5, escreveu a carta em tinta azul. O documento tem o Brasão da República em alto relevo na 1ª folha.

  Plinio Graça tinha extremo cuidado com a relíquia. Costumava mostrá-la a poucas pessoas e escreveu o próprio nome, em tinta preta, sobre o Brasão, para comprovar ser o dono da carta.

  O teor mostra um JK desejoso de confirmar sua marca de governante, com menções às conquistas alcançadas em seu período.

  No início Juscelino se dirige ao signatário em tom de agradecimento: "Ao aproximar-se o término de meu mandato venho manifestar-lhe, de modo especial, o meu reconhecimento pelo seu patriótico apoio à luta que travei para conduzir a pleno êxito a causa do desenvolvimento nacional". 

  Nos parágrafos seguintes Juscelino ressalta o cumprimento dos compromissos assumidos quando candidato à Presidência e faz menção ao slogan que o imortalizou: "(...) Sinto-me satisfeito em poder proclamar que, na Presidência da República, não faltei a um só dos compromissos que assumi como candidato. Mercê de Deus, em muitos setores realizei além do que prometi, fazendo o Brasil avançar, pelo menos, cinquenta anos de progresso em cinco de governo".

  Em seguida, JK cita ações junto aos países vizinhos no combate ao subdesenvolvimento: "Pude ainda, através da operação Pan Americana, despertar as esperanças e energias dos povos americanos para o objetivo comum do combate ao sub-desenvolvimento".

  A ordem democrática também é realçada pelo ex Presidente no penúltimo parágrafo: "E todo esse esforço culminou no cumprimento da ordem democrática, quando o nosso País apresentou ao mundo um admirável espetáculo de educação política, que me permite encerrar o mandato num clima de paz, de ordem, de prosperidade e de respeito a todas as prerrogativas constitucionais".

  Ao finalizar sua mensagem, Juscelino reafirmou seu espírito patriótico de continuar servindo ao país: "Sejam quais forem os rumos da minha vida pública, levarei comigo, ao deixar o honroso posto que me confiou a vontade popular, o firme propósito de continuar servindo ao Brasil com a mesma fé, o mesmo entusiasmo e a mesma confiança em seus altos destinos".

  O Presidente Juscelino Kubitschek assinou a carta e abaixo o local e data. Brasília - 1961.

 A outra carta enviada a Plínio Graça foi escrita anos depois, datilografada e com assinatura diferente da imortalizada em seus tempos de Presidente. Ela, e seu conteúdo, será objeto de outro post.



Share on Google Plus

About Ricardo Luís Reis Nogueira

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

1 comentários:

  1. Aqui em casa tem uma carta igual a esta... Mesmas palavras em cor azul. Ele deve ter escrito esta carta para muita gente... A que tem aqui em casa foi escrita para o meu tio, Claudio Sartori, que trabalhou com JK na presidência...

    ResponderExcluir