Carlindo entrevistou Pelé para um jornal de Bananal.




A edição de nº 15 do jornal “O Poder Jovem” circulou no dia 1º de abril de 1969.

Era o “dia da mentira” mas o periódico bananalense trazia em sua primeira página uma manchete verdadeira, que marcaria a história da imprensa local.

Uma entrevista com ninguém menos do que o Rei do Futebol: “O Poder Jovem com Pelé”.

A foto que ilustrava a reportagem mostrava os sorrisos descontraídos do goleiro Carlindo e de Pelé no vestiário da Vila Belmiro. Ao fundo, o quadro de avisos com o programa de treinamento, especificação do local e observações, conferiam a veracidade da matéria. Era mesmo Pelé dando entrevista para um jornal de Bananal!

O feito foi proporcionado pelo bananalense Carlindo, que, de Santos, contribuiu com seus amigos de infância que integravam a redação do Poder Jovem. Dentre eles, seus irmãos Danilo e Toninho.

A entrevista retrata de forma pitoresca aquele momento do futebol brasileiro. São abordadas a preparação da seleção canarinho, ainda treinada por João Saldanha, para as eliminatórias da Copa do México e a expectativa de Pelé para marcar seu milésimo gol. O feito se concretizaria em novembro daquele mesmo ano.

Carlindo ainda cantarolou para o Rei uma música de Valdir Valim que havia acabado de vencer o Festival da Canção da cidade e pediu sua opinião musical.

Ao final, Pelé deixou uma mensagem especial aos leitores e esportistas de Bananal.

   A Gazeta de Bananal reproduz abaixo o texto na integra daquela primeira página inesquecível.

O PODER JOVEM COM PELÉ
Bananal (SP), 1 de Abril de 1969


Em se tratando de futebol as atenções se voltam a um só nome: PELÉ.

Cronistas de todo o mundo tentaram mas não encontraram, e nem encontrarão, palavras capazes de traduzir seu futebol genial.

Suas jogadas imprevisíveis desbaratam qualquer defensiva, pois diante de um ser superior, PELÈ, nada se pode fazer dado os largos recursos de seus pés e cérebro.

Os jogadores incumbidos de marcá-lo não descobriram meios eficazes para neutralizá-lo tamanha é sua versatilidade.

Seu antigo companheiro de equipe MAURO considera-o «REFLEXO DO REFLEXO».
Gabriele Haunot, o maior cronista da Europa, assim o sintetizou: «Não se viu antes, não se vê agora, e não se verá nunca um jogador tão perfeito como ele».

Como futebolista conquistou todos os títulos possíveis: Bi-Campeão Mundial, Campeão Paulista, Campeão Brasileiro, Campeão Sul Americano (Militar), Bi-Campeão Mundial (Interclubes), Bi-Campeão Sul Americano (interclubes), Campeão do Rio-São Paulo, Campeão da Taça de Prata.

Somente um titulo não conseguiu: o de Campeão Panamericano.

Mesmo sendo o melhor jogador do mundo, mesmo sendo o maior artilheiro de todos os tempos, deu mostra de grande simplicidade ao ser entrevistado pelo nosso correspondente em Santos, CARLINDO DOS SANTOS NOGUEIRA.

Esclarecemos aos leitores que as perguntas abordaram apenas temas atuais como verão a seguir:

REPÓRTER: Bananal fez um FESTIVAL DA CANÇÃO, iniciativa do «PODER JOVEM». Gostaria que desse opinião a respeito da música «Não há felicidade completa», vencedora do FESTIVAL, cantada por mim e RILDO (durante a entrevista).
PELÉ: A letra é bonitinha, é preciso ouvir com arranjo.

REPÓRTER: Como encara as declarações de João Saldanha, ao dizer que se não conseguir conjunto, colocará o time do Santos com alguns reforços para representar o Brasil?
PELÉ: Ele pensa assim porque a equipe do Santos já é estruturada e tanto poderia ser o Santos como qualquer outra equipe entrosada.

REPÓRTER: Qual as possibilidades do quadro brasileiro nas Eliminatórias?
PELÉ: Confio e muito no Brasil.

REPÓRTER: E os 1.000 gols?
PELÉ: Se tiver que vir, vem normalmente.

REPÓRTER: Fora você, aponte 5 craques nacionais.
PELÉ: Seria injusto se citasse apenas 5, existem muitos.

REPÓRTER: E  o TRI?
PELÉ: Vamos nos unir, jogadores, diretores, torcedores, a crônica e se DEUS quiser conseguiremos.

REPÓRTER: E como vamos de novelista?
PELÉ: Gostei da nova experiência.

REPÓRTER: O nome do jornal é «O PODER JOVEM», dê conselho aos jovens da nova geração.
PELÉ: É  muito difícil dar conselho pois a época em que fui garoto era bem diferente desta. A mocidade de agora é mais extrovertida, com as novas invenções.

REPÓRTER: A estatística mostra que o Santos possui 49% da torcida do Brasil depois da ERA PELÉ. Que acha disso?
PELÉ: Acho que não é só por causa da ERA PELÉ, mas porque o melhor time do momento passa a ser admirado pelas crianças.
(Do correspondente)

Ao se despedir de nosso correspondente Pelé enviou-nos a seguinte mensagem:

Aos queridos amigos leitores do Poder Jovem de Bananal e desportistas em geral, esta recordação carinhosa do: Edson - Pelé.

AGRADECEMOS A PELÉ, por nos ter concedido esta sensacional entrevista e ao nosso correspondente, CARLINDO DOS SANTOS NOGUEIRA, que mesmo afastado de sua terra dedica-se com afinco aos seus reais interesses, mostrando que não esqueceu daqueles que aqui deixou.
 
Share on Google Plus

About Ricardo Luís Reis Nogueira

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário